4 boas práticas para cobrar o aluguel de inquilinos inadimplentes

4 minutos para ler

Após alugar o imóvel, uma preocupação comum entre os proprietários é receber os pagamentos em dia. Desse modo, diante do atraso, é fundamental fazer a cobrança de aluguel e, se for o caso, das outras taxas previstas no contrato, como o condomínio e o IPTU.

Normalmente, esse é um momento que traz algumas dificuldades, afinal, isso pode gerar atritos e constrangimentos entre as partes. Por outro lado, a falta de pagamento prejudica o planejamento financeiro do proprietário.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo com 4 boas práticas que você pode usar para cobrar o aluguel diante da inadimplência do inquilino. Confira!

1. Conheça os direitos do inquilino

Antes de iniciar os procedimentos de cobrança, é preciso lembrar dos direitos do inquilino. O proprietário não pode forçá-lo a sair do imóvel ou ingressar no local sem permissão. Tenha em mente que, durante a vigência da locação, a posse da propriedade é do locatário e a moradia é um direito inviolável.

Assim, a invasão do local ou a interferência em serviços prestados, como água, energia elétrica ou telefonia, são práticas ilegais. Da mesma forma, a cobrança não pode ser feita de modo vexatório ou humilhante, nem com ameaças ou qualquer meio violento.

2. Envie notificações de cobrança

As notificações são fundamentais para a cobrança de aluguel. Elas podem ser feitas de diversas maneiras: e-mail, telefone, SMS ou, até mesmo, aplicativos de mensagens, como o WhatsApp. Porém, é importante que a mensagem não tenha um tom de ameaça e, no primeiro contato, faça com que ela soe como um lembrete.

É preciso ter em mente que o atraso pode acontecer por mero esquecimento, então uma mensagem amigável é importante para evitar atritos e constrangimentos. A falta de pagamento também pode ser resultado de problemas pessoais ou familiares graves.

3. Entenda os motivos do atraso

Após enviar as notificações, tente entender quais foram os motivos do atraso para apresentar soluções ao inquilino. Muitas vezes, o problema é pontual e pode ser resolvido com a negociação de um novo prazo. Em outros casos, devido ao acúmulo de atrasos, pode ser necessário parcelar o valor devido.

No entanto, se após enviar as notificações você não receber nenhum retorno, vale a pena lembrar o inquilino das consequências da inadimplência, por exemplo:

  • aumento da dívida devido à multa e aos juros;
  • inclusão em cadastro de inadimplentes, se houver previsão contratual;
  • ação judicial de cobrança e/ou de despejo.

4. Fique atento às ações legais

O proprietário do imóvel conta com opções previstas na lei para receber os valores em atraso. Caso as notificações extrajudiciais não surtam efeito, é possível ingressar com um processo de cobrança de aluguel. Outra medida é a ação de despejo, que visa a desocupação do imóvel diante da inadimplência.

Nesse caso, o inquilino e o fiador podem evitar a rescisão do contrato com o pagamento do débito atualizado no prazo de 15 dias, incluindo as custas processuais e os honorários advocatícios. Vale lembrar que as ações de cobrança e de despejo podem ser feitas em conjunto.

Para auxiliar, conte com o auxílio de uma imobiliária, pois os profissionais conhecem as melhores práticas para a cobrança de aluguel. Assim, você terá todo o suporte necessário para receber os valores devidos pelo inquilino, além de outros benefícios durante o contrato de locação.

Gostou do conteúdo? Caso ainda tenha dúvidas sobre como cobrar o aluguel ou queira saber mais sobre os benefícios de contratar uma imobiliária, entre em contato conosco e conheça as nossas soluções!

contato whats
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-