Quero montar uma república universitária: o que preciso saber?

república universitária
6 minutos para ler

Os anos de faculdade são marcados por muito estudo, mas também por uma série de aventuras que quem se propõe a morar longe dos pais pode passar. Entender o que é preciso para montar uma república universitária e ter sucesso nessa empreitada podem ser um bom começo para quem passará seus primeiros anos fora da casa dos pais.

Festas, novas descobertas e liberdade são alguns dos lados bons de quem mora em uma república universitária. Mas nem tudo são flores: também existem responsabilidades que devem ser cumpridas por todos os moradores.

Para te ajudar nessa missão, trazemos neste post algumas dicas infalíveis para você montar uma casa de estudantes e saber o que é preciso considerar antes de começar. Confira!

Encontre um bom espaço

Procure por uma imobiliária de confiança que possa te ajudar a escolher uma casa ou um apartamento ideal para dividir. Afinal, assumir sozinho o entendimento sobre um contrato de aluguel e ter a certeza de que está negociando com pessoas confiáveis são tarefas mais que incertas. Aproveite dessa facilidade que o mercado imobiliário oferece em auxiliar as pessoas nesse processo e livre-se de dores de cabeça desnecessárias.

Avalie qual o valor máximo que você pode gastar com um aluguel e procure, nos sites da universidade e em grupos de redes sociais e whatsapp, por pessoas que queiram morar naquele local e planejem gastar o mesmo que você. Não se esqueça de analisar o contrato e fazer perguntas sobre como funcionam multas e reparos.

Não se esqueça: as repúblicas são conhecidas por fazerem festas, e a alta circulação de pessoas pode depredar o imóvel. Por isso, tome cuidado e confira todas as regras antes de fechar o negócio.

Pense na divisão de tarefas

Assim que for definido quantas pessoas morarão na república universitária, é hora de organizar as responsabilidades que cada um terá nos assuntos da casa.

Estabelecer que todos arrumem os seus próprios quartos e fazer um rodízio para lavar a louça e limpar as áreas comuns são boas pedidas. Assim, o trabalho fica divido de forma justa, e cada morador saberá qual é o dia de sua tarefa.

Ainda, é essencial que uma pessoa seja responsável por colocar em dia as contas da casa. Isso é indicado para que o pagamento de aluguel, água, energia, internet, entre outros, não seja esquecido e acabe acumulando para o próximo mês.

Quando os pagamentos se concentram em apenas uma pessoa, basta que cada um dos outros moradores transfira o valor mensal na data combinada.

Divida a mobília

A melhor maneira de fazer uma divisão justa é combinando que cada um seja responsável pela mobília do próprio quarto.

Para as áreas comuns, é interessante que cada membro compre ou traga um móvel de valor equivalente. Assim, quando a casa for desmontada, fica mais fácil para saber quem fica com o que.

Organize as compras da casa

Outra questão que pode confundir a cabeça dos moradores, se não for bem-organizada, é a ida ao mercado.

O ideal é que cada pessoa seja responsável por sua própria comida e a coloque na geladeira e nos armários com a devida identificação. A divisão deve acontecer na hora de comprar material de limpeza e outros itens de uso comum, uma decisão que deve ser acordada previamente.

Saiba da importância em estabelecer regras

Morar com outras pessoas significa ter a capacidade de estabelecer limites, a fim de que essa convivência não se torne desgastante e problemática tanto para os moradores quanto para outras pessoas do entorno como vizinhos. Esse é certamente o primeiro passo para estabelecer harmonia dentro e fora da moradia estudantil.

Nesse sentido, respeitar a lei do silêncio, por exemplo, evitando música alta em horários inconvenientes ou mesmo tendo o bom senso de saber que, se um dos moradores precisar estudar para uma prova importante, precisará de quietude e nem sempre utilizará as dependências da universidade para isso. O espírito de colaboração é algo que deve ser sempre incentivado, a fim de facilitar ainda mais a convivência entre os presentes.

O estabelecimento de regras evita que os acordos fiquem apenas em suposições abstratas e ganhe contornos mais palpáveis. Assim, quando alguém tiver dúvidas sobre o que cabe fazer em uma dada situação, poderá consultar esses acordos prévios para ter clareza sobre esse contexto. Discernimento é tudo quando se está em constante convívio com outras pessoas.

Estabeleça a divisão das contas

É comum em repúblicas que os quartos tenham dimensões diferentes. Por isso, o valor a ser pago por cada acomodação não segue o mesmo preço. Assim, é importante ter clareza sobre como será a divisão das contas, a fim de que ninguém fique sobrecarregado, e tudo seja feito de forma justa.

Imagine, por exemplo, uma república em que um dos quartos é suíte. Obviamente, o valor a ser cobrado por tal acomodação não poderá seguir o mesmo padrão de outras estruturas mais simples existentes no imóvel. Avalie bem cada situação e aja de forma sensata, para que se evite problemas.

Aprenda a se comunicar

Mais uma vez, morar em república demanda o bom tato com as pessoas. Agir de forma autoritária só pode criar mais entraves e dificuldades na hora de acertar detalhes. Obviamente, acordos podem ser mudados e adaptados ao longo do tempo, conforme as necessidades que forem se apresentando. E é justamente nessa hora que é preciso saber comunicar-se.

Tenha em mente que são diferentes pessoas morando ali com personalidades e bagagens culturais diversas. Tudo isso é preciso ser levado em conta, a fim de acertar os ponteiros e evitar que ajustes simples que precisam ser feitos ao longo do tempo tornem-se um engodo.

Saber dialogar continua sendo a forma mais eficiente e sensata de resolver problemas. Invista nisso e faça com que a convivência e a administração da república seja a mais fluída possível. É bem mais leve e fácil contornar entraves do que torná-los ainda maiores pela falta de capacidade de diálogo. Saiba ouvir e, também, expressar-se de forma equilibrada, a fim de criar consenso entre os moradores.

Como pode ver, é completamente possível ter uma república funcional e que seja acolhedora por meio das atitudes certas. Agora que tem as informações apropriadas para isso, aproveite para aprimorar a forma como vem lidando com essas questões e obter os melhores resultados possíveis.

Se gostou de saber o que é necessário saber para montar uma república universitária com sucesso, curta agora mesmo a nossa página no Facebook e continue por dentro do nosso conteúdo!

contato whatsPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-
Open chat