Paisagismo residencial: entenda mais sobre esse conceito

8 minutos para ler

O paisagismo residencial é uma forma de criar ou recuperar cenários dentro de casa, a partir da preservação de um determinado ecossistema local, recuperando a beleza da natureza nos lares.

Quando bem aplicado, o paisagismo é capaz de valorizar o imóvel em até 20%, devido à extrema beleza e exuberância. Além do mais, a técnica cria um espaço muito mais agradável e aconchegante, o que é ótimo para quem busca decorar a casa.

Por conta disso, o paisagismo residencial é cada vez mais desejado nos dias de hoje, já que muitas pessoas buscam uma forma de viver com mais tranquilidade, sem perder a beleza do ambiente. 

Para implementação do paisagismo residencial é necessário um projeto detalhado, ainda mais porque a atividade envolve conhecimentos de plantio, mas também de arquitetura, para que o espaço seja aproveitado da melhor maneira possível.

Tanto que algumas empreiteiras para reforma residencial contam com profissionais focados em paisagismo.

No artigo de hoje, entenda mais sobre esse conceito do paisagismo residencial e saiba como aplicá-lo na sua casa. Acompanhe a leitura!

Paisagismo x jardinagem: é a mesma coisa?

Muitas pessoas confundem o paisagismo com jardinagem, já que as duas lidam com a organização de plantas em casa e o cultivo de espécimes. 

Apesar de ser uma confusão compreensível, já que uma área está diretamente ligada à outra, há algumas diferenças entre as práticas.

O paisagismo tem como principal objetivo elaborar e planejar projetos verdes. Nesse sentido, em uma reforma de alto padrão, por exemplo, existe um profissional responsável pela execução do projeto, levando em consideração todos os detalhes do imóvel e os desejos dos moradores.

Portanto, o paisagista atua além da jardinagem, uma vez que o profissional é responsável por elaborar projetos, em uma atividade semelhante à arquitetura.

Em contrapartida, o jardineiro vai dar vida ao que está no projeto de paisagismo, por meio do cultivo das plantas, adubação do solo, cuidado com o plantio, entre outras atividades.

Importante destacar que a jardinagem é fundamental para o paisagismo. Por conta disso, quem deseja ter áreas verdes em casa precisa ter cuidado com esses espaços. Caso não for possível, recomenda-se a busca pela terceirização de serviços de jardinagem.

Quais são as vantagens do paisagismo residencial?

A decoração e o bem-estar devem caminhar juntos em qualquer projeto residencial. Por causa disso, o paisagismo tem crescido tanto nos últimos anos, pois a atividade é capaz de oferecer um ótimo conforto, além de contribuir com a estética do ambiente.

A seguir, conheça algumas vantagens do paisagismo residencial.

Melhora do microclima

As plantas e demais espécies vegetais colaboram para melhorar o microclima do ambiente. Não é à toa que os bairros arborizados são mais valorizados, bem como cidades que passam pelo serviço de reflorestamento costumam oferecer uma ampla sensação de aconchego e relaxamento.

Isso porque as áreas verdes renovam e recondicionam o local através da fotossíntese. Com isso, o ar se torna mais puro em comparação com as regiões totalmente urbanizadas.

Isolamento térmica e acústico

O isolamento térmico e acústico é uma das vantagens mais notáveis do paisagismo. Afinal de contas, a presença de plantas reduz o efeito das ilhas de calor e, além disso, contribui para diminuir os efeitos dos ruídos internos.

Para aproveitar desses benefícios, muitos paisagistas elaboram projetos dos chamados “tetos verdes”, que nada mais são que jardins acima das casas. Essa é uma das principais soluções para condomínios residenciais e edifícios.

Além dessa opção, o conforto termoacústico é bem aproveitado em projetos de paredes verdes, também conhecidas como “jardins verticais”.

A isolação térmica e acústica tem um impacto direto na vida das pessoas. Afinal de contas, elas sentem uma diminuição de temperatura de até 8oC e, fora isso, as plantas ajudam a economizar custos, com redução de até 20% no uso de ar condicionado e uma diminuição de até 50% na energia usada para aquecimento. 

Conforto e bem-estar

O contato com a natureza é capaz de melhorar o bem-estar, despertando sensações de relaxamento e conforto aos indivíduos, ainda mais para as grandes cidades com poucas áreas arborizadas.

Como consequência, é possível diminuir o estresse, a ansiedade e colaborar com o aumento da qualidade de vida.

5 tendências do paisagismo residencial

O paisagismo residencial pode ser aplicado em diferentes tipos de imóveis, desde pequenos apartamentos até casas luxuosas. No entanto, o projeto é indispensável, uma vez que a falta de planejamento pode prejudicar a aplicação correta do plantio.

Além do mais, o paisagismo pode ser aplicado em vários ambientes – uma simples mesa saarinen lateral, por exemplo, pode ser o suficiente para ter um espaço repleto de plantas e flores.

A seguir, conheça algumas tendências do paisagismo residencial.

1 – Jardins verticais

Os jardins verticais consistem em estruturas montadas junto à parede, contendo inúmeros tipos de vegetação. Normalmente, eles são feitos com materiais leves, que se adaptam a qualquer tipo de revestimento.

A montagem do jardim vertical inclui um sistema inteligente de rega, bem com um projeto de drenagem eficiente, para evitar possíveis infiltrações nas paredes.

Existem quatro principais tipos de jardins verticais, são eles:

  • Naturais: recomendados para áreas externas, feito com plantas naturais;
  • Preservados: instalado em ambientes fechados e com pouca luz;
  • Musgo moss: feito com planta preservada em formato redondo e multidimensional;
  • Artificiais: desenvolvido a partir de plantas artificiais, semelhantes às naturais.

Além do conforto, bem-estar e ótimo isolamento termoacústico, os jardins verticais ajudam a despertar a sensação de amplitude do espaço, com a recuperação de áreas vazias em locais esteticamente agradáveis.

2 – Folhagens

As folhagens valorizam o paisagismo dos jardins, com um toque neutro, porém sofisticado. Entretanto, é indispensável procurar por espécies adequadas para a composição, até para não atrapalhar o crescimento das outras plantas ou prejudicar a estética do ambiente.

Na decoração tropical, por exemplo, as folhagens de palmeiras e samambaias são as mais indicadas, enquanto em um ambiente com estilo mais rústico, a presença de cactos pode equilibrar melhor os elementos (além da manutenção simples da planta).

Para quem gosta da cultura oriental, as folhagens de bambus, juníperos e azaleias contribuem com o estilo e promovem a sensação de frescor no ambiente.

3 – Iluminação artificial

A iluminação é indispensável para qualquer jardim. Afinal de contas, ela é a responsável pelo processo de fotossíntese das plantas, portanto, sem a quantidade de luz ideal, as espécies podem acabar morrendo.

Mas nem sempre é possível ter um local agradável, com a luz do sol necessária. Ainda mais quando tratamos de paisagismo para ambientes internos. Nestes casos, o melhor a ser feito é um projeto de iluminação artificial.

Combinado com uma decoração em acrílico, por exemplo, a iluminação artificial pode favorecer a beleza do jardim, tornando a estética muito mais convidativa, com destaque para volumes e elementos da sua preferência.

4 – Pedras

As pedras também favorecem a decoração dos jardins residenciais. Atualmente, é possível encontrar inúmeros tipos, como a brita natural, pedra de rio, dolomita branca, entre outras. 

Por isso, é importante que o projeto de paisagismo já defina qual a melhor pedra, conforme o estilo e a estética da área.

Além do mais, as pedras são uma ótima alternativa para forrar caminhos e espaços nos jardins, devido à menor exigência de manutenção em comparação com a grama.

Para instalação, recomenda-se o uso de manta geotêxtil ou bidim, que irá impedir o contato direto das pedras com o solo.

5 – Acessórios de descanso

Ter uma área de descanso nos jardins é a chave para aproveitar melhor toda a sensação de bem-estar e tranquilidade proporcionada pelo paisagismo residencial. 

Sendo assim, uma boa maneira de decorar esses ambientes é com a instalação de acessórios de descanso, como bancos, redes, cadeiras, entre outros. 

Vale a pena considerar o estilo dos moradores. Por exemplo, bancos em aço com revestimento esmaltado branco são excelentes opções para jardins renascentistas. Já os móveis de fibra sintética colaboram para um ar mais “oriental” no paisagismo.

No caso dos jardins externos, é importante escolher acessórios resistentes contra as intempéries, pois eles sofrem diariamente com a intensidade de raios solares e chuvas.

Conclusão

O paisagismo residencial é uma atividade que vem crescendo nos últimos anos, tanto para projetos em apartamento quanto em casas. Muito disso, deve-se às inúmeras vantagens das áreas verdes, incluindo melhor conforto, bem-estar e isolamento termoacústico.

Entretanto, não basta apenas plantar as espécies ao acaso, só por gosto pessoal. O paisagismo serve justamente para isso: elaborar um planejamento adequado, conforme as especificações de cada local e os desejos dos moradores.

Com isso, é possível ter um jardim totalmente personalizado, além de aproveitar ao máximo todos os benefícios das áreas verdes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

contato whatsPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-
Open chat