Sucessão familiar: como ensinar os filhos administrar o patrimônio

sucessão familiar
4 minutos para ler

Sucessão familiar é um tema delicado, que pode gerar muitas discórdias entre os membros da família. Porém, a sucessão pode ser um processo planejado, organizado e que deve seguir regras específicas, mesmo quando os negócios familiares estão concentrados em compra, venda e locação de imóveis realizada em nome de pessoa física.

Muitas vezes, os pais se dedicam tanto ao trabalho que se esquecem de preparar os filhos para encarar o patrimônio familiar não como uma herança, mas sim como um negócio que requer o devido profissionalismo.

Se você tem dúvidas sobre como ensinar os filhos a administrar o seu patrimônio, acompanhe as nossas dicas.

Envolva seus filhos no negócio

Apresente aos seus filhos o patrimônio familiar, esclareça-os sobre a importância da manutenção do patrimônio e informe-os sobre como adquirir e gerenciar ativos, tais como: imóveis comerciais, rurais e residenciais e fundos de investimento imobiliário.

Deixe-os participar das estratégias de investimento e dos processos de negociação que você realiza, pois é essencial que eles adquiram experiência prática.

Trace um perfil detalhado do sucessor

A primeira etapa da escolha do sucessor requer bastante cuidado e consiste na definição do perfil necessário dessa pessoa. O sucessor deve ser selecionado com bastante cautela, pois é ele que será responsável pela continuidade dos negócios e gestão da empresa. É interessante que os sócios e os interessados diretos também concordem com essa definição para evitar futuros conflitos.

Após traçar o perfil desejado, selecione a pessoa mais qualificada do grupo familiar, levando em consideração as características pessoais e os conhecimentos de cada um e escolha aquele com maior potencialidade para assumir os negócios.

Capacite seus filhos

Incentive a participação de seus filhos em cursos que os profissionalizem e os capacitem a entender dos negócios, especialmente sobre documentação para aquisição de imóveis, direitos e deveres de locadores e locatários, regras tributárias de negócios imobiliários e precificação de imóveis, por exemplo.

Elabore o plano de transição

O plano de transição deve ser bem elaborado e estruturado a fim de se evitar futuros conflitos e, para isso, existem programas de sucessão familiar, desenvolvidos por entidades como a Fundação Dom Cabral e consultores especializados, por exemplo, que envolvem todos os membros da família e auxiliam na estruturação do processo de sucessão da maneira mais adequada ao seu negócio.

Busque assessoria especializada

Contrate uma imobiliária para auxiliá-lo nos processos de aquisição e venda de imóveis, gerenciamento de carteira de imóveis locados e análise de rentabilidade, por exemplo, e envolva seus filhos nas reuniões com a equipe de assessoria imobiliária, para que eles ganhem segurança nas tomadas de decisões.

Dê credibilidade e confiança aos seus filhos

Deixe que seus filhos realizem algumas negociações imobiliárias do começo ao fim, contando com a sua assessoria e a da imobiliária, para que eles ganhem autoconfiança e sintam que possuem credibilidade para gerir o negócio.

Não alongue muito o processo de sucessão familiar

O processo de sucessão familiar demora entre 10 e 20 anos para sua conclusão, por isso, inicie-o o quanto antes, para evitar que ele seja atropelado por um processo de inventário.

O foco da sucessão familiar é a transferência de comando sobre os negócios, portanto, não requer qualquer alteração nas cotas patrimoniais dos familiares. Não se trata de partilha de herança, mas sim de gestão e sucessão da empresa. Por isso, deve ser tratado com seriedade, profissionalismo e planejamento adequado.

Gostou do nosso post? Ainda tem dúvidas? Deixe um comentário!

contato whats
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-