Conheça os principais tipos de piso e como selecionar

8 minutos para ler

Existem milhares de tipos de piso para inúmeras situações que uma pessoa pode comprar e preencher o ambiente à vontade no momento de fazer aquela reforma, construir aquela casa ou simplesmente auxiliar em um projeto profissional.

Contudo, muitas dúvidas surgem no meio do caminho e pouco se sabe ao certo as melhores maneiras de como devem ser feitas essas escolhas. Nem sempre o piso mais bonito é o melhor para determinado tipo de ambiente.

E quando falamos de harmonia de cores em ambientes modernos, nem sempre aquilo que é de nosso gosto preferido é necessariamente a melhor opção a ser utilizada. É preciso pensar em utilização a longo e curto prazo, além de quem estará nesses ambientes.

Basta imaginar que uma empresa de raspagem de pisos de madeira pode ter muitos clientes ligados à religião, casas de repouso, resorts e afins, mas a quantidade de escolas que solicitam seus serviços podem ser inferior ao utilizado.

Isso porque estamos falando de ambientes diferentes com temáticas totalmente adversas a realidade que estão sendo introduzidas. Se um piso super caro for colocado em uma academia, é lógico que sua duração será reduzida consideravelmente.

A importância da boa escolha

Saber escolher faz toda a diferença no conforto, durabilidade e estética do seu local diário. É assim que os pisos devem ser escolhidos, considerando todas as situações possíveis, e é claro deve combinar com o objetivo proposto pelo ambiente em sua planta.

Não é à toa que engenheiros e arquitetos passam anos estudando as melhores opções para vender aos seus clientes. É preciso muito cuidado e pensamento técnico antes de escolher um piso para o seu negócio, por exemplo.

É o caso das clínicas de saúde que precisam de um piso que passarão constantemente pela manutenção de uma empresa de tratamento de piso devido a quantidade química de produtos que podem ser usados para manter o ambiente impecavelmente limpo.

Além disso, é comum que esse tipo de piso seja introduzido dentro da tonalidade branca, afinal a cor neutra é menos efetiva a diversas doenças e síndromes que pacientes podem ter.

Esse piso deve ter uma durabilidade diferenciada a ponto de não amarelar ou trincar com facilidade.

O clima afeta a durabilidade

Não podemos esquecer também o fator clima, que é muito importante dentro de todo esse contexto introdutório que estamos explicando por aqui.

Diferente de um conserto de piso de madeira SP, que pode ser feito quando um determinado produto é danificado, alguns pisos feitos em mármore ou cerâmica podem rachar de acordo com a mudança da temperatura.

Enquanto nos países da Europa, onde a temperatura é muito mais previsível, no Brasil estamos falando de um clima amplamente diferenciado e que pode estar em constantes mudanças.

Podemos utilizar como exemplo a cidade de São Paulo, conhecida como cidade da garoa. Ocorre que em um único dia os paulistanos precisam encarar frio, sol e chuva. Tudo isso afeta diretamente as estruturas e os pisos.

Pagar caro ou barato?

Por fim, mas não menos importante, precisamos comentar o preço de cada produto. Falaremos especificamente de cada tipo de piso nos próximos tópicos, porém é preciso compreender a realidade de cada pessoa e situação para definir o preço ideal.

Quanto mais belo e durável, maior o preço, porém é possível agregar ambas as qualidade a um valor que encaixe no seu bolso. Você também pode estar em busca de peças extremamente exclusivas como as de mármore.

São pedras que saem direto da natureza para produção de ambientes incríveis, mas a raridade aumenta o preço consideravelmente. E muitas vezes a depender do seu objetivo final, os mármores sintéticos conseguem dar o mesmo resultado.

Falamos isso pois se passarmos uma lavadora elétrica de piso, ela funcionará nos dois, além disso, ninguém precisa saber da origem. O ambiente como um todo em destaque as pessoas irão amá-lo ou desgostarem por completo.

Esta é a realidade dos preços, mas compreendemos também que a decisão é sua. Escolher o piso que mais te atrai é um processo extremamente agradável de ser feito, pois a imaginação vai às alturas e é possível desmistificar um monte de falácias com os ótimos vendedores presentes nas lojas.

Você ficaria surpreso com os pedidos inusitados dos mais variados clientes. Alguns pedem um piso extremamente branco sem qualquer detalhe de outra cor, enquanto outros querem algo na tonalidade preto fosco ou amarelo.

Já uma empresa de gestão de obras buscará por aquele produto que melhor atende o orçamento aliado com a qualidade necessária para manter a imagem do negócio intacta. De quais pisos estamos falando? Veja-os a seguir.

Porcelanatos

O primeiro que falaremos é o mais conhecido de todos e sonhado por muitos. Os porcelanatos são lindos e o custo-benefício que eles entregam é incomparável com qualquer um de seus rivais diretos.

Estamos falando de um piso totalmente impermeável e resistente. Lembra que falamos sobre agregar qualidade com durabilidade? Pois é, aí está uma excelente opção para você que acabou de se mudar e precisa instalar o piso na sua nova casa.

Existem diferentes opções quadradas e retangulares, além de vários tamanhos com bordas arredondadas ou retas. Tudo vai depender do seu projeto para a escolha final. Eles são ideais se você quer decorar áreas menores dando aquele destaque.

O porcelanato é muito utilizado em construção reforma engenharia civil, pois consegue reproduzir perfeitamente ambientes naturais como pedras e madeiras independente se você quer algo com mais brilho ou fosco, e o valor deles agrada o bolso.

Cerâmicas

A cerâmica é uma opção mais rentável e muito bem utilizada em ambientes menos visíveis, ou seja, naqueles lugares que você precisa proteger, mas que ninguém de fora passará por lá nunca.

Sua composição é basicamente argila, o que torna a cerâmica um produto menos durável e brilhante que os porcelanatos. Além disso, ela não se sai muito bem reproduzindo produtos naturais.

Se você deseja dar uma economizada na obra, precisa mudar com velocidade a cerâmica pode te auxiliar. Se bem instalada em um projeto organizado, pode até ganhar um destaque mais rústico, porém a nossa dica é usar mais em lugares “invisiveis”.

Laminados

Os laminados são o terror dos pedreiros que amam ganhar um tempinho a mais na obra, isso porque os laminados compõe as seguintes características:

  • Fácil aplicação e instalação;
  • Podem ser colocados sobre outros pisos;
  • Fácil de limpar;
  • Conforto térmico agradável.

Como você pode ver nos pontos destacados, o porcelanato é extremamente fácil de ser instalado, além de possibilitar a instalação sobre o piso anterior, evitando aqueles trâmites de retirada.

Para o pessoal que faz a limpeza, eles também são uma maravilha, já que conseguem ser limpos somente com um pano úmido. O último grande benefício dos laminados é que eles atuam muito bem como isolantes acústicos.

O isolamento acústico dos laminados garante mais duas coisas tranquilamente, e isso faz dele uma opção bem interessante para ambientes com essas ressalvas, como um carpete alto trafego preço.

Cimento queimado

O cimento queimado é um processo feito no local de instalação. É uma técnica antiga muito utilizada para fazer canis, por exemplo, e que caiu no gosto popular como uma opção mais rústica de ser utilizada.

Basicamente é feito de cimento, areia, água e pó de cimento. A superfície criada é capaz de reproduzir um piso de média qualidade, mas que sofre com a presença contínua da umidade. A limpeza também pode ser um pouco complicada.

Especificações técnicas

Os pisos precisam ser categorizados em um sistema chamado de índice PEI, uma forma de mensurar o quanto os porcelanatos e cerâmicas sofrem por desgaste por abrasão (atrito). Existem um total de 5 categorias que escalam de PEI 1 até PEI 5.

Pisos PEI 1 são indicados para áreas de pouco tráfego de pessoas, por exemplo os banheiros. Pisos PEI 2 podem ser utilizados em ambientes sem portas externas, como formadores e escritórios.

Os PEI 3 são excelentes para locais onde haverá bastante tráfego, como a cozinha ou a sala de jantar. Já o PEI 4 e PEI 5 são produtos aos quais não são necessários em ambientes residenciais.

Existe também o chamado coeficiente de atrito, que varia entre 0,1 até algo maior ou igual a 0,9. Entendesse que pisos até 0,4 devem ser instalados em ambientes secos e com pouco contato com a umidade devido ao risco de acidentes.

Já os pisos com índice maior ou igual a 0,7 podem ser instalados em ambientes únicos, pois resistem melhor ao atrito. Vale lembrar que isso é colocado como informação na caixa desses produtos. Se você for fazer um cimento marmorizado preço não terá essa opção de escolha.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

contato whats
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-