As vantagens e desvantagens de se adquirir um imóvel na planta

8 minutos para ler

Comprar um imóvel na planta é o sonho de muitas pessoas, ainda mais para quem já acompanha o trabalho de uma determinada construtora e quer ter a oportunidade de morar bem, sem gastar uma quantidade muito grande de dinheiro na compra da residência.

No entanto, é preciso ressaltar que há vantagens e desvantagens de se adquirir um imóvel na planta. Por esse motivo, é recomendável fazer uma pesquisa prévia e analisar os prós e os contras, diante da sua realidade.

Neste modelo de investimento, o comprador basicamente ajuda a incorporadora a financiar os custos da construção imobiliária. Por isso, é possível pagar até um terço do valor total durante o período de construção (em média, 3 anos).

Sendo assim, o restante do preço do imóvel é dividido após a entrega das chaves, em parcelas que podem ser pagas mensalmente, trimestralmente ou semestralmente.

Inclusive, há serviços especializados de consultoria em obras, que tratam justamente sobre os pormenores de comprar uma casa na planta e como o cliente deve se preparar para eventuais imprevistos.

O artigo de hoje tem a intenção de mostrar os pontos positivos e negativos de um imóvel na planta, para que você tome uma decisão correta. Acompanhe a leitura!

Quais as vantagens de comprar um imóvel na planta?

Em primeiro lugar, é necessário ter em mente que um imóvel na planta pode demorar para ser entregue. 

Isso porque o local não está pronto, por isso, o comprador deve esperar o tempo da construção – o que pode ser desvantajoso para quem precisa de uma casa para morar em pouco tempo.

Mas há muitas vantagens em comprar um imóvel na planta. Entre elas, destacam-se:

Possibilidade de personalização do imóvel

Visto que o empreendimento ainda está na fase de construção, é possível investir em melhorias para a sua casa ainda na planta. Por exemplo, pensar em um dormitório sob medida e já fazer um projeto totalmente personalizado.

Além disso, as próprias construtoras oferecem alternativas para que o comprador escolha a posição e disposição de paredes. Em alguns casos, as empresas permitem até a decisão sobre o tipo de material usado.

Desse modo, se um comprador deseja usar um determinado revestimento no quarto, ou instalar piso laminado residencial em todo o imóvel, esses detalhes podem ser decididos durante a fase de construção do empreendimento.

Otimização dos espaços privados

Os imóveis novos são planejados para o melhor aproveitamento do espaço, em especial, quando tratamos de apartamentos. Em geral, eles são mais adaptados ao estilo de vida contemporâneo, substituindo alguns cômodos por outros.

Por exemplo, os tradicionais quartos de empregada são substituídos por varandas gourmet, um novo quarto ou quintais dentro do próprio apartamento.

Normalmente, o número de quartos por metro quadrado também é um pouco maior. Em imóveis mais antigos, um espaço de 90m2 é usado para a construção de dois cômodos, enquanto nos empreendimentos atuais, a mesma metragem pode dar origem a até quatro quartos.

Embora pareça que os cômodos fiquem muito pequenos, o aproveitamento de espaço é muito melhor.

Instalações elétricas modernas

Como tudo é novo nos imóveis nas plantas, as instalações elétricas alta tensão são modernas e adaptadas para os aparelhos, eletrodomésticos e eletrônicos atuais.

Nesse sentido, os imóveis na planta contam com:

  • Maior número de tomadas;
  • Estruturas mais seguras e modernas;
  • Instalações adequadas para ar-condicionado;
  • Sistemas próprios para cabeamento de TV e internet.

Na maioria dos imóveis antigos, as instalações elétricas precisam ser totalmente readaptadas, o que apresenta um gasto maior para os compradores.

Maior segurança

Os novos empreendimentos, principalmente os de condomínios, são planejados para garantir o máximo de segurança e conforto aos moradores.

Por esse motivo, os imóveis já são construídos com base em um sistema de portaria inteligente, com capacidade para controlar o acesso de visitantes e garantir a segurança patrimonial de todos.

Além disso, a própria posição de guaritas e portões de acesso é algo estrategicamente pensado, justamente para diminuir riscos aos residentes.

Fora toda a rede inteligente de controle e gerenciamento da entrada de visitantes, os condomínios novos também possuem outros dispositivos de segurança, por exemplo, a presença de câmeras, sensores e a instalação de sistema de incêndio.

Tudo isso torna os empreendimentos novos muito concorridos, visto que a busca por segurança é primordial para todos, especialmente os moradores das grandes urbes.

Melhor custo-benefício

Hoje em dia, a maior parte dos empreendimentos é construída em espaços para maior convívio e lazer dos moradores. Por isso, é comum vermos condomínios novos com piscinas, playground, quadras esportivas, academias e, até mesmo, lojas.

Isso está muito conectado à característica da sociedade moderna, que busca aliar o conforto do lar com o lazer.

Por esse motivo, muitas pessoas preferem comprar uma área privativa menor, mas usufruir de todas as comodidades de um condomínio.

Além do mais, o valor pago para a administradora predial costuma ser muito mais barato, já que quanto maior o número de condôminos, mais o valor de manutenção dos serviços é rateado, resultando em uma diminuição do valor da mensalidade.

Quais as desvantagens de comprar um imóvel na planta?

Apesar de todos os benefícios mencionados acima, nem tudo são flores. Por esse motivo, é preciso pensar muito bem se a compra de um imóvel na planta atende aos seus interesses.

Maior risco

Comprar um imóvel na planta pode ser uma verdadeira “dor de cabeça”. Isso porque são raros os casos de atrasos nas obras, mas eles podem acontecer, fazendo com que o empreendimento demore ainda mais para sair.

Os atrasos podem ocorrer por muitos motivos. Recentemente, muitas construções atrasaram por conta da pandemia da Covid-19, que estabeleceu critérios de isolamento social e trouxe vários problemas às construtoras.

Mas o atraso da obra não é o único risco. O comprador também pode se deparar com a entrega de um imóvel menor do que o previsto, materiais com qualidade inferior e a falta de acabamento em alguns cômodos.

Por esse motivo, recomenda-se levar um engenheiro ou pedreiro de confiança quando for visitar o decorado.

Localização ruim

Hoje em dia, é difícil encontrar um imóvel com boa localização e estrutura. Embora muitos condomínios tenham uma portaria para controle de acesso, morar em uma área privilegiada é o desejo de muitas pessoas.

Mas como os terrenos em centros e bairros tradicionais estão praticamente todos ocupados, a opção é iniciar um empreendimento em locais mais afastados.

Por esse motivo, avalie bem onde será a construção e veja como é o acesso para outras áreas na cidade.

Quem depende de transporte público também pode ter alguma dificuldade com a localização. Em algumas cidades, não há linhas de ônibus nas regiões mais afastadas, o que pode dificultar a locomoção.

Tamanhos menores

Não há como negar: os imóveis estão cada vez menores. Por esse motivo, tenha ciência que ao comprar um imóvel na planta, ele provavelmente terá um tamanho menor do que uma casa já construída e mais antiga.

Isso não é um problema para muitas famílias, mas para quem tem um grande número de filhos ou animais de estimação, um espaço a mais faz toda a diferença.

Custo da compra

Os imóveis usados são 20% mais baratos e, caso consiga um financiamento, ele pode ser parcelado em até 30 anos.

O financiamento para imóveis na planta é mais exigente e pode pedir um valor de entrada maior, com parcelas em menor tempo. Claro que, após a construção, é possível ganhar bastante com a valorização do imóvel.

No entanto, para quem não tem esse dinheiro em mãos, o custo pode ser muito dispendioso.

Despesas acessórias

Os imóveis na planta estão totalmente “lisos”, ou seja, não contam com nenhum mobiliário, decoração ou revestimento diferenciado. 

Por esse motivo, é preciso considerar que além da verba para a aquisição do empreendimento, o comprador vai ter que gastar um valor com despesas extras.

Isso toma muito tempo e dinheiro. No final, o gasto com o imóvel pode ser ainda maior do que o planejado anteriormente.

Conclusão

A decisão de comprar um imóvel nunca é simples. É preciso avaliar muito bem as condições dispostas para a compra, o valor necessário e se o empreendimento atende às suas necessidades.

Em conjunto, é preciso considerar também as opções de financiamento, custos de documentação, entre outros processos envolvidos que podem influenciar na decisão dos compradores.

No caso específico dos imóveis na planta, que são o sonho de muitas pessoas, vale a pena refletir sobre as vantagens e desvantagens desse tipo de residência.

Além disso, não se pode esquecer que as construções demoram, então, não espere fazer um investimento e logo se mudar.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

contato whatsPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-
Open chat