Como funciona a composição de renda para financiamento de imóveis?

3 minutos para ler

O financiamento imobiliário é o caminho mais comum para que os brasileiros possam sair do aluguel e comprar uma casa ou apartamento. No entanto, para obter a aprovação da instituição bancária, é fundamental atender a alguns requisitos. Por isso, saber como funciona a composição de renda para financiamento de imóveis pode ser muito importante.

Pouca gente sabe, mas é possível agregar os rendimentos de outros membros da família na solicitação do empréstimo com fins imobiliários, de forma que a prestação mensal se enquadre, com mais facilidade, na quantia que vocês recebem todos os meses. Quer aprender mais sobre o tema? Então, continue a sua leitura.

O que é a composição de renda para financiamento?

Antes de mais nada, é preciso compreender o que é a composição de renda para financiamento. Trata-se de um mecanismo dentro de uma análise de crédito que consiste, basicamente, em somar as rendas das pessoas que compõem a família que comprará a propriedade em questão, como cônjuges, pais, filhos ou até amigos.

Isso é muito importante para ajudar a ter êxito na análise de risco dos bancos e instituições financeiras, inclusive em relação ao cumprimento da Lei do Comprometimento de Renda. Ela determina que só se possa comprometer um máximo de 30% da renda no pagamento dos encargos mensais relativos ao empréstimo imobiliário.

Quem pode compor renda para financiamento?

Tradicionalmente, a composição de renda para financiamentos imobiliários era feita apenas por cônjuges diretos, como maridos e esposas. No entanto, com os avanços nas relações sociais e as mudanças nos padrões familiares, esse leque foi estendido, incluindo companheiros em união estável, pais, filhos e até quem não é parente.

Logicamente, existem variações de acordo com a instituição. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, que é a maior credora do mercado imobiliário brasileiro, permite a participação de qualquer pessoa. Já no Banco do Brasil, limita em até três participantes no contrato, que precisam ser relacionados por parentesco, seja ele sanguíneo ou por afinidade.

Quais são as vantagens de fazer a composição de renda?

Agora que você entendeu melhor o que é a composição de renda, vale ressaltar alguns dos benefícios que tal possibilidade proporciona. O mais lógico deles é a facilidade na aprovação, uma vez que os clientes precisam provar que a sua renda é o suficiente para pagar as prestações para que a instituição financeira libere o crédito.

Além disso, é uma forma de aumentar o valor financiado, permitindo o investimento em unidades que atendem melhor às suas demandas e às necessidades da sua família. Outro ponto relevante é que todas as pessoas que participam da composição de renda podem utilizar o saldo do FGTS, para dar a entrada ou amortizar prestações.

Agora você já sabe como funciona a composição de renda para financiamento de imóveis. Analise se é uma possibilidade viável para sua família e veja se isso pode ajudar você a obter a aprovação de crédito!

Gostou de aprender como funciona a composição de renda para financiamento de imóveis? Quer conferir mais posts como este? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter!

contato whats
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-