Quais os principais fatores que influenciam nos preços de imóveis?

preços de imóveis
7 minutos para ler

A compra de um apartamento é mais do que um sonho, é um verdadeiro investimento. Os preços de imóveis são altos e, por isso, para comprar a casa própria, provavelmente, serão necessários vários anos de trabalho e sacrifícios. É importante que a escolha seja bem-feita para que, mais tarde, se necessário, o imóvel seja também um bom investimento.

Sendo assim, saber um pouco mais sobre os fatores que influenciam o preço de imóveis é extremamente necessário, e é sobre isso que falaremos a seguir. Confira o post abaixo e entenda um pouco mais como funciona esse mercado!

Localização

A localização é um item de extrema importância e que influencia diretamente no preço dos imóveis. Os metros quadrados mais caros das cidades estão localizados em bairros nobres e que contam com uma boa infraestrutura ao seu redor, como um satisfatório comércio local, facilidade de acesso e opções de transporte.

Preocupações com a posição em relação ao sol nascente, vistas para áreas arborizadas ou orla marítima também devem ser analisadas, por serem mais atraentes. Um prédio antigo de frente para o mar, por exemplo, pode valer do mais que um empreendimento novo que seja mais afastado. Já ambientes barulhentos ou poluídos, que tornam a vizinhança mais desagradável, no entanto, possuem efeito contrário.

Planta

O tamanho e a distribuição dos cômodos dentro do imóvel fazem toda a diferença na hora da precificação. A metragem do imóvel também definirá o padrão de preços no mercado. Espaços maiores tendem a ser mais caros, pois recebem melhores subdivisões de ambiente, com excelente aproveitamento das áreas.

Tempo de uso

A idade do imóvel é um fator que pode reduzir o seu preço de mercado. Seja casa ou apartamento, quanto maior o tempo de uso, maior também será a tendência de a estrutura do imóvel apresentar problemas e precisar de reparos.

Por exemplo, com o passar do tempo é preciso refazer a parte elétrica, hidráulica, entre outras benfeitorias que todo imóvel precisa a cada década de utilização.

Segurança

A segurança nas imediações é um dos itens mais avaliados pela maioria das pessoas que estão à procura de um imóvel. Um empreendimento em um lugar seguro tende a ser mais valorizado do que um em zona marginalizada e com riscos de enchentes ou invasões.

Nesse aspecto, apartamentos são mais cotados do que as casas, por oferecerem uma maior infraestrutura, como portões automáticos, elevadores e chaves de porta com segredo. Por fim, mas ainda nessa linha de raciocínio, os condomínios que possuem seguranças, porteiros e câmeras de vigilância são mais bem cotados no mercado e tendem a ser ainda mais valorizados.

Estrutura social e de lazer

Ter mais opções de espaço e lazer são atrativos para as famílias, que procuram, cada vez mais, por condomínios equipados com piscina coberta e aquecida, sauna, salão de jogos, academia, espaço gourmet, salas de recepção, salão de festas, área de churrasqueira e sala de cinema.

Ter à disposição alguns desses ambientes oferece conforto para os moradores, que não precisam sair de casa para se exercitar, brincar com os filhos ou receber os amigos. Esses benefícios também valorizam o empreendimento, além de oferecer economia para o proprietário com academia e aluguel de salões de festa, por exemplo.

Acessórios e acabamento

Os materiais utilizados nas portas, pisos e paredes são de grande importância para determinar o valor do metro quadrado. Esses são parâmetros que determinam a facilidade de limpeza, durabilidade e qualidade do imóvel, além de influenciar no visual estético. Materiais de boa qualidade geram maior valor agregado ao preço dos imóveis.

Um apartamento que possui box nos banheiros e armários instalados é interessante por sua praticidade, pois móveis planejados de acordo com a planta garantem um espaço melhor aproveitado. Sendo assim, prédios que não possuem elevadores são desfavorecidos nas decisões, enquanto os que possuem varandas amplas são preferenciais para moradia.

Personalização

Os novos proprietários (principalmente quando adquirem o imóvel na planta), antes mesmo de se mudarem, podem planejar algumas mudanças estéticas ou estruturais, no caso das casas. Isso se deve tanto por aspectos de logística de acomodação da família quanto por questões estéticas.

As alterações realizadas com bom-senso e que tornam o ambiente ainda mais funcional são bem-vistas pelo mercado e podem gerar maior valor agregado ao imóvel. Por outro lado, algumas modificações podem desvalorizar o preço.

Conservação

Esse quesito parece até lógico, não é mesmo? A escolha dos materiais utilizados para o acabamento, manutenção e o cuidado que o imóvel recebe são decisivos para manter a competitividade de seu preço no mercado.

Quando um comprador visita um imóvel que está disponível para negócio e percebe que o local está em péssimas condições de uso, é um passo para desistir. Muitos reparos e manutenções graves poderiam ter sido evitadas com apenas pequenos cuidados diários.

Andar do imóvel

Isso vale para os apartamentos, já que o mercado valoriza mais os imóveis que estão nos andares superiores. Afinal, quanto mais alto o andar, menos ruídos podem ser ouvidos da rua e dos andares superiores.

Dependendo da vista da janela do apartamento, esse valor pode ser ainda mais alto, já que os cartões-postais das grandes cidades costumam ser mais caros para os moradores.

Vagas na garagem

É comum que as famílias possuam de 2 a 3 automóveis, sendo necessário um amplo estacionamento interno. Imóveis que não possuem vagas de garagem são desvalorizados e caracterizam, na maioria das vezes, um gasto extra para o morador — ou o risco de deixar seu carro na rua.

Empreendimentos com várias vagas e espaço para manobras possuem maior destaque na decisão dos compradores, ou seja, de acordo com uma das mais básicas leis da economia, maior demanda em relação à oferta representa aumento de preço.

Documentação

Esse é um fator pouco analisado pelos compradores na hora da pesquisa do imóvel. No entanto, ele é fundamental para determinar o valor. Pendências administrativas, problemas judiciais e até falta de pagamento são fatores que travam por completo uma negociação.

Pode ser o apartamento mais bonito do bairro, mas se tiver problemas com os papéis, possivelmente, esse negócio não se finalizará tão cedo. Se o imóvel é alvo de discussão judicial ou faz parte de inventário, por exemplo, pode demorar um bom tempo para ser liberado para um novo proprietário — por isso a dificuldade de comprar imóveis com problemas de documentação.

Na hora de escolher qual imóvel receberá o seu investimento, é preciso definir quais são as suas prioridades diante desses itens e organizar as possibilidades financeiras para realizar a compra. É importante escolher o melhor imóvel possível, pois esse bem será um grande patrimônio.

Gostou deste post sobre os principais fatores que influenciam nos preços de imóveis? Então, que tal entrar em contato com a nossa equipe e conhecer um pouco mais sobre os imóveis que temos à sua disposição? Esperamos você!

contato whats
Você também pode gostar

Um comentário em “Quais os principais fatores que influenciam nos preços de imóveis?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-
Open chat