5 dicas antes de investir em um imóvel

9 minutos para ler

Ter um imóvel próprio é o sonho de muitas pessoas. Por conta disso, mesmo em um cenário de crise, o mercado imobiliário brasileiro continua com um amplo crescimento, com boas estimativas para os próximos anos.

De acordo com especialistas na área, o setor registra números favoráveis, dando mais segurança para quem deseja investir em um imóvel.

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) divulgou um aumento de 30% na compra e construção de imóveis, com mais de 228 mil financiamentos e giro de R$ 6,05 bilhões com recursos de poupança. 

Só no Estado de São Paulo, mais de 29,9 mil novas unidades foram vendidas.

Os indicadores da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) também corroboram com os dados anteriores, demonstrando um aumento de 30,1% nos lançamentos residenciais, além do crescimento na construção de prédios.

Portanto, temos um cenário promissor. Mesmo assim, não se pode descuidar dos detalhes com o investimento em imóveis, pois trata-se de um dos maiores bens materiais dos indivíduos.

Sendo assim, se você vai comprar um imóvel ou deseja começar a trabalhar com investimentos no mercado imobiliário deve ficar atento às 5 dicas abaixo. 

Veja mais no artigo!

1 – Compare os preços com terrenos

Muitas vezes, a melhor opção não é comprar um imóvel pronto, mas sim, investir em um terreno e ir construindo o seu empreendimento aos poucos. 

Além do preço mais barato, os terrenos são uma ótima oportunidade de ganhos de capital.

Isso deve-se à própria valorização do terreno com a construção do imóvel. Dessa maneira, você pode vender o empreendimento por uma quantia bem maior, em comparação ao preço de aquisição, o que traz chances de reinvestimento do dinheiro.

Claro que, além do próprio valor do terreno, é necessário desembolsar outras quantias, como os serviços de demolição e terraplanagem, para adequar o local para o imóvel e a própria construção da estrutura.

Independentemente disso, os terrenos ainda são a melhor alternativa, em especial para quem deseja ganhar dinheiro com o mercado imobiliário.

Vale dizer que não é preciso encontrar um terreno no centro, bem localizado. Com a onda dos condomínios de luxo afastados dos centros urbanos, até mesmo lugares que antes eram dados como “desconhecidos”, tornaram-se uma oportunidade para investir.

As construtoras, por exemplo, acabam comprando vários terrenos em locais aparentemente ruins e, posteriormente, promovem a melhoria, com uma equipe de gerenciamento de obras industriais para comportar grandes condomínios.

2 – Procure por imóveis na planta

Mas, se no seu caso o terreno não é atrativo, devido aos gastos com a construção de imóveis e todo o processo envolvido com o empreendimento, a solução pode ser a compra de um imóvel na planta.

A modalidade é disponibilizada pelas construtoras nas fases iniciais das obras, sendo possível comprar unidades em valores mais acessíveis, do que quando estiverem concluídas.

Isso é interessante não só para quem quer comprar um imóvel, mas também para os que trabalham com revenda.

Por esse motivo, muitos investidores acabam adquirindo imóveis na planta e, quando as obras são finalizadas, negociam a venda com novos proprietários.

No entanto, é necessário ter alguns cuidados com esse tipo de investimento. O primeiro deles é certificar-se que a construtora é de confiança, para evitar possíveis transtornos e atrasos na obra.

Além disso, é importante verificar as especificações do imóvel, incluindo os detalhes, como os tipos de blocos de concreto para piso usados no empreendimento, a qualidade da pintura, dos sistemas hidráulico e elétrico, entre outros aspectos.

Todas essas informações contribuem para a valorização do imóvel, sendo possível prever o potencial de retorno sobre o investimento.

Também vale ficar atento a:

  • Localização do imóvel;
  • Objetivo do imóvel (residencial, comercial, industrial);
  • Tamanho do imóvel;
  • Diferenciais do empreendimento.

Quanto ao objetivo, ateste que a construtora está cumprindo todos os pré-requisitos para cada tipo de estrutura.

Por exemplo, dependendo das especificidades do imóvel, é preciso ter um laudo de emissão de AVCB, documento do Corpo de Bombeiros que atesta a segurança da instalação quanto às medidas de prevenção e combate a incêndio.

3 – Veja as opções de imóveis usados

Os imóveis usados também podem ser uma ótima opção para quem está procurando um investimento mais barato, porém em um local totalmente pronto.

Ao invés de procurar um imóvel novo em folha para morar, com um preço acima da média, você pode pesquisar por imóveis usados e encontrar verdadeiras relíquias, com um valor de investimento muito mais acessível.

Hoje em dia, com o crescimento no número de novos prédios, condomínios, unidades e casas, há muitos imóveis encalhados em imobiliárias. 

Isso te dá argumentos na hora de negociar com os corretores, para preços ainda mais baratos.

Vale dizer que, no caso de um imóvel usado, algumas reformas certamente serão necessárias, como serviços de pintura residencial, troca de rejuntes, pisos e revestimentos.

Mas, o preço pago pela revitalização ainda pode compensar, quando comparado ao valor de investimento em um imóvel novo.

O ideal é fazer um planejamento de todas as melhorias que o empreendimento precisa. 

Dessa forma, é possível ter um teto de gastos e aprimorar o local aos poucos, para deixar toda a estrutura com a cara dos moradores. Tudo para a casa dos sonhos!

4 – Busque por imóveis que mudaram de categoria

Uma característica muito comum do mercado imobiliário é que, por inúmeras razões, alguns empreendimentos acabam perdendo o seu propósito inicial e se tornam imóveis direcionados a outras atividades.

Por exemplo, uma estrutura onde era um galpão de despachante CNH suspensa pode virar um bom espaço para uma loja de roupas. Ou até mesmo para a construção de algo totalmente novo.

Esse tipo de situação faz com que os imóveis se tornem subutilizados, o que abre margem para a mudança de categoria e, com isso, a atração de novos investidores.

Imagine até mesmo transformar uma empresa que antes fazia regularização de CNH suspensa, em uma bela casa para morar? Ou então em uma sala comercial para uma nova agência ou escritório de advocacia? As possibilidades são inúmeras.

Quando isso ocorre, os imóveis que mudam de categoria passam a ter um valor abaixo da média de mercado, o que é excelente para quem deseja investir no mercado imobiliário.

A principal recomendação nestes casos é realizar uma vistoria cuidadosa de todo o local, antes de concretizar o investimento. 

Desse modo, você pode se certificar de quais intervenções são necessárias e o quanto as reformas não vão prejudicar o seu retorno financeiro.

Normalmente, quem está começando agora como investidor no mercado imobiliário não percebe as oportunidades dos imóveis que mudam de categoria. 

Mas, um comprador inteligente é capaz de perceber o quanto esses empreendimentos podem contribuir para o aumento de patrimônio.

5 – Compre casas com financiamento ou consórcio

O financiamento é uma das opções mais atrativas para quem deseja adquirir um imóvel para morar, não para investir. 

Mas, essa também pode ser uma opção rentável, se o comprador souber como se organizar para obter um bom retorno.

Por exemplo, quem tem valores depositados em contas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) pode valer-se desse recurso para conseguir uma entrada no imóvel, ou até dar início a uma possível negociação.

Além do mais, o financiamento pode ser um grande aliado para investidores que já possuem um certo patrimônio, porém não contam com uma quantia suficiente para negociar um novo empreendimento.

Mas, se há o medo de arriscar, ainda mais após a análise de taxas de juro de financiamentos, a outra alternativa é o consórcio. 

A vantagem está na isenção de juros e no preço mais barato das parcelas.

Na modalidade do consórcio, o investidor entra para um grupo de interessados em um mesmo valor de crédito para a compra de imóveis. 

Todo mês, alguns deles são contemplados, o que significa que retiram o valor do investimento.

A contemplação pode ocorrer por sorteio ou por meio da oferta de lances, isto é, quando se antecipa o valor de um determinado número de parcelas. 

Desse modo, o participante do consórcio que foi contemplado adquire uma carta de crédito.

Em resumo, com a carta de crédito em mãos, tem-se uma forma de pagamento à vista. Isso torna o poder de negociação muito maior, especialmente para os investidores.

Vale dizer que, pouca gente sabe, mas o FGTS também pode ser usado no consórcio para o lance. 

Sendo assim, quem está iniciando no mundo de investimento em imóveis, pode optar por essa modalidade, que é muito mais atrativa (financeiramente falando), em comparação ao financiamento.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

contato whats
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-