Morar Sozinho: Desafios e Soluções

morar sozinho
6 minutos para ler

Para algumas pessoas, a ideia de morar sozinho pode ser tão empolgante quanto desafiadora. O fato é que esse é, sem dúvidas, um grande passo a ser dado e, por isso, exige muito planejamento.

Além de aprender a fazer atividades domésticas e cuidar responsavelmente de seu dinheiro, é muito importante saber como escolher o imóvel mais adequado à sua vida financeira.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo para mostrar alguns dos maiores desafios de morar sozinho e como superá-los. Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura e confira!

Aprenda o básico sobre cuidados domésticos

Não é de se esperar que você domine os procedimentos necessários para manter uma casa completamente organizada e bem administrada logo na primeira semana que estiver morando sozinho. Contudo, é muito importante que, antes de se mudar, você aprenda ao menos o básico sobre cuidados domésticos.

Morar sozinho significa que, a partir de agora, você é responsável por tudo o que acontece em sua casa. Se não souber cozinhar, a comida não aparecerá pronta sobre a mesa. Se não lavar as louças, elas não se lavarão sozinhas. O mesmo se aplica ao seu aluguel, mas falaremos mais sobre isso adiante.

Acostume-se à ideia de que você terá que ser independente

Por falar em responsabilidades, saiba que morar sozinho é sinônimo de muita responsabilidade, principalmente em relação à sua vida financeira. Agora, você é quem cozinha, lava a roupa, paga as contas e mantém a casa organizada.

Suas obrigações são suas e apenas suas. Não há mais quem culpar quando não encontra as chaves do carro, por exemplo.

Uma dica útil para que você se acostume a essa ideia aos poucos é, antes de se mudar da casa de seus pais, tomar para si algumas responsabilidades domésticas e financeiras do lar.

Comprometa-se a pagar a conta de internet e cuidar das lavagem das roupas, por exemplo. Sem dúvidas, o período de transição será muito mais fácil.

Entenda que existem diferenças entre morar sozinho e ser solitário

Apesar de serem palavras parecidas, “sozinho” e “solitário” têm conceitos bastante distintos.

A ideia de passar a maior parte do tempo sem a companhia de outras pessoas pode parecer desoladora para muitos, mas é preciso encarar essa mudanças como algo positivo, como uma grande conquista e um dos passos mais importantes da vida.

O fato é que morar sozinho é a ocasião ideal para você se reconectar consigo mesmo e torna-se seu melhor amigo. Além disso, você terá muito tempo livre para fazer atividades relaxantes e que lhe agradem, como:

  • “maratonar” suas séries preferidas;
  • ler livros novos e conhecer autores diferentes;
  • aprender a tocar um instrumento;
  • começar a fazer atividades físicas;
  • descobrir um novo hobby, como culinária.

Lembrando que convidar seus amigos para uma visita, de vez em quando, é muito importante para que você não acabe se isolando sem perceber. Moderação é a palavra-chave.

Faça escolhas saudáveis

É importante que você aprenda a cozinhar antes de decidir morar sozinho. O arroz, por exemplo, pode queimar ou ficar “empapado” nas primeiras tentativas — e isso é totalmente aceitável. Mas é necessário que você evite viver apenas de delivery e comida semipronta.

Agora, os cuidados com a sua saúde estão totalmente por sua conta. Faça exercícios e pratique atividades físicas sempre que possível. Se preciso, crie um cronograma com horários para comer e dormir. Se você não tem hábitos saudáveis, essa é a hora de aprender a desenvolvê-los.

Organize sua vida financeira

Antes de tomar a decisão de morar sozinho e sair em busca de uma casa para alugar — algo que falaremos mais adiante —, aprenda a se organizar financeiramente, pois isso será crucial nessa nova etapa da sua vida.

O primeiro passo é quitar ou negociar quaisquer dívidas em aberto. Certamente, você não precisará de despesas adicionais e imprevistos financeiros quando estiver com as obrigações de pagar aluguel e contas de consumo, além de comprar comida, não é verdade?

Hoje em dia, é muito simples colocar a vida financeira em ordem e mantê-la organizada. Existem diversos aplicativos de organização de finanças pessoais disponíveis para download.

Considere as despesas que você terá de assumir quando for morar sozinho e faça um comparativo com o valor que você ganha por mês. Por exemplo, some o valor do aluguel a um valor médio de despesas de alimentação e contas de consumo para uma pessoa. Subtraia essa quantia do valor de seu salário e veja se tomar essa decisão é viável para você no momento e a longo prazo.

Escolha o imóvel adequado às suas condições financeiras

Depois de aprender o básico para manter a casa organizada, preparar sua própria comida, saber o que esperar pelo caminho e se organizar financeiramente, a única coisa que resta é procurar o imóvel ideal.

Para melhorar sua pesquisa, o segredo é refinar a busca de acordo com as características que você exige que seu futuro apartamento tenha. Por exemplo, o número de cômodos, os bairros em que você gostaria de morar e, é claro, quanto você está disposto a pagar de aluguel.

Com o auxílio de uma imobiliária, você terá acesso a uma lista de propriedades com as características de sua preferência e, dessa forma, poderá tomar sua decisão tendo a certeza de que fará a melhor escolha.

Como vimos, morar sozinho é uma das escolhas mais importantes que alguém pode tomar na vida. Mas, com bastante planejamento, sensatez e responsabilidade, pode ser uma grande experiência.

E você? Como foi o processo para se mudar e assumir a responsabilidade de cuidar de uma casa? Tem alguma experiência sobre morar sozinho que queira compartilhar com a gente? Então, deixe o seu comentário!

 

contato whats
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-